Politécnico de Leiria é parceiro do Projeto Atelier Digital da Google

grupo_de_parceiros_peq

A Google lançou, no dia 5 de dezembro, a plataforma online Atelier Digital, um projeto nacional que visa formar jovens nas competências digitais mais requisitadas no mercado do trabalho, dotá-los das ferramentas necessárias para aproveitarem as oportunidades nesta área e contribuir para fomentar o empreendedorismo em Portugal. A iniciativa tem como parceiros o Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, o Conselho Coordenador dos Institutos Superiores Politécnicos (CCISP) e a SIC Esperança. O Politécnico de Leiria é uma das três instituições de ensino superior selecionadas para integrar esta fase pioneira do processo.

A sessão de apresentação do projeto em Portugal, que decorreu no Instituto Politécnico de Setúbal, contou com a presença da secretária de Estado da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Maria Fernanda Rollo; do presidente do CCISP, Nuno Mangas; da presidente da SIC Esperança, Mercedes Balsemão; do diretor de Assuntos Institucionais da Google Portugal e Espanha, Francisco Ruiz; entre outros convidados. 

Programa de apresentação

 

 ATELIER DIGITAL DA GOOGLE EM PORTUGAL

atelier_digital2_fb_5_12_2016Numa primeira fase os cursos do projeto “Atelier Digital” são ministrados online e, a partir do início de 2017, também num regime presencial (3 dias – 8 horas diárias): os conteúdo programáticos incidem na otimização para motores de pesquisa (SEO), marketing para motores depesquisa (SEM), marketing nas redes sociais e mobile, análise de web e Internacionalização. Os Politécnicos de Leiria, Setúbal e a Universidade de Aveiro serão as primeiras instituições a receber estas sessões de formação gratuita para pessoas com ou sem grau académico, empregados ou desempregados. 

Na formação online estarão disponíveis 23 módulos que cobrem diferentes áreas de competências digitais, como por exemplo, pesquisa, email, redes sociais, redes display, vídeo, e-commerce e webanalytics. Os cursos são baseados em tutoriais em vídeo seguidos de atividades. De modo a testarem os seus conhecimentos os formandos terão disponível no final um teste que lhes permitirá obter uma certificação reconhecida pela IAB Europe.

A Google explicou que «nestas instituições os cursos serão dados ao longo de três dias, num total de 24 horas de formação. As formações vão ser dadas por pessoas especialistas nas áreas digitais», sendo que a ideia é alargar a iniciativa «pelo país e atingir o máximo de alunos possível com os cursos presenciais». 

INSCRIÇÕES

 

APRESENTAÇÃO PÚBLICA DO PROJETO

foto_plateia_peqNa sessão de lançamento, a secretária de Estado da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Maria Fernanda Rollo, apontou a elevada pertinência do projeto «a literacia digital, a aprendizagem de código e, em geral, a aquisição de competências digitais, contribui para aumentar a participação dos cidadãos no inexorável mundo digital». Afirmou, ainda, que «o Governo está muito empenhado em criar condições para a aquisição de competências digitais, tendo a noção muito clara de que estamos a falar num universo muito amplo a que é preciso dar resposta e as nossas Universidades, mas em particular os Institutos Politécnicos têm uma consciência muito clara nesse sentido e estão a fazê-lo em todo o território nacional».

Nuno Mangas, presidente do CCISP, reconheceu a importância estratégica do “Atelier Digital”, pois «vai permitir a formação de um conjunto de jovens e de profissionais com competências que permitem retirar da internet o melhor que ela pode oferecer em termos empresariais, como procurar informação, parceiros, clientes, fornecedores e desenvolver ações de divulgação e comunicação passará a ser mais fácil e eficaz». O responsável pelo CCISP acrescentou que «para os jovens que frequentam cursos nas áreas da gestão, marketing, comunicação e mesmo no design e nas tecnologias, esta formação pode ser muito importante para a sua vida profissional futura, tendo em conta o peso que a internet tem hoje nos ambientes empresariais.»

«Quem sabe, se à semelhança do que se passou noutros países onde o projeto foi implementado, muitos dos formandos acabam por criar o seu próprio negócio no final da formação», conclui Francisco Ruiz, diretor de Assuntos Institucionais da Google Portugal e Espanha.

 

COMPETÊNCIAS DIGITAIS NA EUROPA E PORTUGAL 

O desenvolvimento das competências digitais na Europa foi estabelecido como uma das grandes prioridades económicas e sociais da União Europeia. De acordo com a Comissão Europeia, vão surgir, nos próximos anos mais de 820.000 vagas em competências digitais e as empresas com maior probabilidade de sucesso e crescimento serão aquelas que possuam esses requisitos indispensáveis. Os estudos revelam que 90% das empresas europeias não possuem competências digitais apesar de as considerarem um fator de vantagem competitiva. No caso de Portugal os indicadores apontam que mais de metade da população portuguesa revela falta de competências digitais.

Estes programas da Google de desenvolvimento de competências digitais têm vindo a ser implementados na Europa com sucesso e com resultados bem expressivos. Agora, o projeto chega a Portugal e aos portugueses.

 

5 de dezembro | 9h30 | Setúbal