Numa amostra de 70 adolescentes com sobrepeso, entre 12 e 18 anos (52,9% meninas), foram analisadas as diferenças de género relacionadas com a autoestima corporal, vida social, relações familiares, conforto físico, responsabilidade em saúde, benefícios percebidos da intervenção, auto-eficácia e adesão. O peso teve um maior impacto sobre a auto-estima corporal das meninas, tanto no início quanto na semana 12. Já os meninos relataram maior auto-eficácia e adesão, e uma maior percepção dos benefícios da intervenção, na semana 12. A redução do índice de massa corporal foi positivamente associada à auto-estima corporal, relações dentro da família e auto-eficácia e adesão. As especificidades de género e o papel das variáveis psicossociais devem ser considerados nos programas de controlo de peso para adolescentes. É importante incluir a família ao longo de todo o processo.