Diplomadas da ESAD.CR são as únicas portuguesas a integrar exposição em Londres

únicas portuguesas a integrar a ARTROOMS, em Londres

Mariana Sampaio e Patrícia Shenriq, diplomadas pela Escola Superior de Artes e Design de Caldas da Rainha (ESAD.CR) do Politécnico de Leiria, são as duas únicas portuguesas a integrar a ARTROOMS, a maior feira gratuita de arte para artistas independentes. À exposição concorreram artistas de todo o mundo, sendo pré-selecionados 800, dos quais foram efetivamente selecionados apenas 78 artistas. Patrícia Shenriq é estudante do mestrado em Artes Plásticas, e Mariana Sampaio é licenciada e mestrada em Artes Plásticas pela ESAD.CR.

A ARTROOMS 2017 decorre entre 20 a 23 de janeiro, no Hotel Meliá White House no coração de Londres. Trata-se de «uma exposição interativa dos artistas mais provocadores, alucinantes e inspiradores de hoje, cuidadosamente selecionados de todo o mundo (…) esta é a oportunidade única de Londres ver as novidades e tendências na arte», explica a organização. Os artistas são desafiados a expor o seu trabalho dentro do quarto do hotel (de 24 m2 aproximadamente), sem que nada do que existe no quarto saia para efeitos da exposição, tendo assim de encontrar uma maneira criativa de expor o seu trabalho num espaço completamente mobilado. Podem também apresentar um projeto/instalação de site function pensado no espaço em si.

 

feltro-roxo_site_7_10_2016Sobre a sua peça, Mariana Sampaio explica que «é uma instalação da site function, funciona em todos os lugares (…) anfiteatros, escadas, espaços de formato irregular ou numa sala completamente mobilada, uma vez que os materiais utilizados são tão flexíveis: a pele sintética, o feltro, o plástico». «Este projeto evolui de um trabalho anterior sobre objetos do quotidiano; as formas são o resultado dos objetos, pelo menos, o que restou deles, sendo que o que agora prevalece são as suas cores fortes. Ao libertar-se da sua ligação com a realidade, a peça caminha para um campo mais abstrato, entrando no reino tridimensional. O espaço “desaparece” na cor e texturas presentes nos materiais usados, e o espetador é convidado a entrar dentro da instalação e a explorar o espaço. O objetivo é fazer com que se sinta absorvido pela cor, como se entrasse noutra dimensão, sentindo-se parte integrante da obra.»

 

projeto-mingle-instalac%cc%a7a%cc%83o_site_7_10_2016Patrícia Shenriq conta que o trabalho “I’ll fix you” «representa a história do meu corpo, funcionando como metáfora do mesmo». «Cada peça contém folhas de feltro unidas através de linhas de algodão ou lã, com o auxílio de uma tesoura, uma luva de borracha e uma agulha. Podemos encontrar costuras bastante destacadas comparando com as cores dos feltros, o que confere um carácter pictórico a estes objetos, bem como o fazem a sua cor e colocação na parede. A escolha do feltro justifica-se pela sua maleabilidade, onde em cada dobra e cada viragem constitui um processo pessoal terapêutico.»

Nota de imprensa

 

ARTROOMS 2017 | 20 a 23 de janeiro | Londres