Ana Rodrigues

Nunca esperes por ninguém para realizar os teus sonhos, arrisca e verás o mundo gigante de conhecimento que tens à tua espera!

A experiência Erasmus não é vivida da mesma forma por todos os estudantes e as aprendizagens e motivações para aceitarem o desafio de sair da zona de conforto são também elas diversas. O testemunho da Ana Rodrigues, aluna de dietética da ESSLei, é pragmático, sem deixar de ser envolvente, mas é principalmente um relato de superação pessoal. Afinal, não será este o resultado que se procura? Em baixo pode ler-se um excerto da e-entrevista do IPLeiria à aluna que embarcou na experiência Erasmus e, que de repente, se vê a dar aulas de português na Universidade que a acolheu, na Lituânia. A entrevista completa pode ser lida aqui.

Perfil

ana-rodrigues_erasmusNome: Ana Rodrigues 
Idade: 21 anos
Nacionalidade: Portuguesa
Cidade: Caxarias/Ourém
Escola: Escola Superior de Saúde (ESSLei)
Curso: Licenciatura em Dietética
País Escolhido: Lituânia

 

Qual o 1.º impacto do país?

Cheguei bastante tarde, mas fui logo acolhida por um grupo de turcos que estava a beber chá, o típico chá preto.

Tudo o que te dizem sobre Erasmus, aqui começa desde logo a fazer sentido. No minuto a seguir à minha chegada já me sentia em casa (…)

Como foi sair da zona de conforto?

O tempo passou e a saudade apertou, voltei a querer ir embora, pedia que os dias passassem rápido, estava o tempo todo ao telefone com amigos de Portugal. Entretanto o trabalho e as atividades passam a ocupar todo o meu dia e os dias começaram mesmo a passar rápido, rápido de mais.

Sair da zona de conforto a mim fez-me, e ainda me faz, sentir um misto de emoções enorme. Cheguei até a duvidar da minha sanidade mental. Passei toda a viagem até à Lituânia a chorar, não queria ir embora e deixar tudo para trás, provavelmente um drama desnecessário. Não queria começar sozinha e do zero, num país onde não conheço nada nem ninguém. Quando cheguei a vontade de querer conhecer tudo e todos falou mais alto e já só queria ficar.(…)

Como aconteceu o convite para dar aulas?

Nunca me tinha imaginado a dar aulas, sobretudo a pessoas da nossa idade ou mais velhos.

Temos um grupo no facebook onde estão todos os estudantes de Erasmus desta cidade, os mentores são fantásticos e estão sempre a organizar programas e atividades novas.(…)

ana-teacher

 

O que é que foi mais fácil e o mais difícil desta experiência?

Também difícil achei a adaptação às ementas por eles usadas, ou seja, como o meu curso é dietética e estou a estagiar no departamento de restauração de um hospital tenho de saber avaliar as ementas, que vão muito para além do típico prato de carne intervalado com peixe ou da mistura de arroz, massa e batata que estava habituada a ver em Portugal.

Posso dizer que o mais fácil foi a adaptação, fazer novas amizades e viajar por países próximos. O mais difícil talvez tenha sido, e continua a ser, comunicar com as pessoas locais (…)


ana-rodrigues_entrevista