IPLeiria destaca-se no Estudo sobre Instituições de Ensino Superior Portuguesas

9783319237046O Politécnico de Leiria (IPLeiria) obteve uma boa classificação no estudo internacional sobre a incorporação, difusão e institucionalização do desenvolvimento sustentável nas instituições de ensino superior portugueses (IESP), destacando-se, ainda, a par de seis universidades nacionais, na comunicação de práticas de desenvolvimento sustentável. Intitulado Toward Sustainability through Higher Education: Sustainable Development incorporation into Portuguese Higher Education Institutions, o estudo investiga a integração do desenvolvimento sustentável nas instituições, através da revisão da literatura e análise dos websites institucionais de 34 IESP, 20 politécnicos e 14 universidades.

A investigação, publicada pela Springer no livro Challenges in Higher Education for Sustainability, avaliou as práticas desenvolvidas pelas instituições, mediante a análise das dimensões ambiental, económica, social/cultural e institucional/política educacional. Os resultados indicam que, apesar da maioria das instituições comunicar as suas práticas de desenvolvimento sustentável através dos websites, evidenciaram-se os melhores em Portugal: o IPLeiria e as Universidades de Coimbra, Minho, Trás-os-Montes e Alto Douro, Lisboa, Porto e Aveiro.

«Ao comparar os resultados das universidades com os dos politécnicos, verifica-se uma maior percentagem de práticas de desenvolvimento sustentável em universidades para todas as dimensões. No entanto, uma das exceções é o IPLeiria, que se encontra no grupo dos early adopters quanto ao desenvolvimento sustentável», refere Ana Marta Aleixo Figueiras dos Santos, técnica superior no Gabinete de Projetos do IPLeiria.

O estudo indica ainda que os websites comunicam principalmente as práticas culturais/económicas e sociais das IESP, e existe uma associação positiva entre a comunicação de práticas de desenvolvimento sustentável e o tamanho e o tipo de instituição. Desenvolve também um índice global de práticas de desenvolvimento sustentável comunicadas por cada IESP (cujo valor mais elevado obtido por uma IESP cifra-se nos 56%), e agrupa as IESP em diferentes estádios de incorporação das preocupações de sustentabilidade nas suas atividades.

Os autores da investigação sugerem que as questões de sustentabilidade devem ter prioridade na agenda das IESP para um melhor relacionamento com os seus stakeholders, e também no que se relaciona com rankings internacionais, financiamentos governamentais e privados, e para uma melhor imagem e competitividade entre instituições.

As considerações finais refletem que os desafios diários enfrentados pelas IESP não lhes permitem dedicar tempo a delinear uma estratégia de médio/longo prazo, que inclua o desenvolvimento sustentável como uma vantagem para a competitividade e para educar e informar a sociedade para a sustentabilidade.

 

Estudo completo