gala_mais_industria_site_4_3_2020

Empresários apoiam Estudantes do Ensino Superior com as Bolsas + Indústria 

As “Bolsas + Indústria”, a iniciativa pioneira que colocou empresas a premiar o mérito dos melhores estudantes que ingressam no Ensino Superior, atribuindo-lhes bolsas anuais no valor da propina. No dia 3 de março, no Teatro José Lúcio da Silva, em Leiria, realizou-se a Gala + Indústria, onde foram concedidas 48 bolsas (2019/2020) a estudantes e o apoio para a remodelação de cinco quartos nas residências de estudantes, atribuídas por 39 empresas, no âmbito do “projeto +Indústria”, que resulta da estreita colaboração entre o Politécnico de Leiria e as empresas da região de Leiria.

Os protagonistas marcaram presença, e nas filas dianteiras podia ver-se o Teatro José Lúcio da Silva recheado de orgulho, alegria e amor nos lugares onde estavam sentados familiares e amigos, que fizeram questão de apoiar os nossos premiados. Da vista aérea do palco para a plateia os sorrisos e a celebração eram notórios.

Mais do que reconhecer a importância da aproximação do ensino superior à comunidade, em particular ao meio empresarial, os promotores do + Indústria acreditam no mérito individual daqueles que sonham e que se esforçam para transformar esses sonhos em realidade. 

Ao abrigo do protocolo + Indústria, celebrado entre o Politécnico de Leiria, a Associação Empresarial da Região de Leiria (NERLEI) e a Associação Nacional de Indústria de Moldes (CEFAMOL) – em colaboração com o Município de Leiria, foram já apoiados, desde 2013, 184 estudantes, por cerca de 60 empresas.

 

O presidente do Politécnico de Leiria, Rui Pedrosa, afirmou «Nós existimos enquanto instituição de ensino superior pública para gerar conhecimento, para ajudar a transformar cidadãos, com conhecimento técnico, científico e cidadãos exemplares, no entanto, sem todo o tecido económico, social, da área da saúde, onde as empresas têm impacto, o nosso papel seria vazio. Portanto, nós necessitamos muito das empresas e estou seguro que as empresas connosco também estão mais fortes, e é para isso que trabalhamos todos os dias». Aproveitando a oportunidade, partilhou ainda uma mensagem especial sobre os premiados «Eles tiveram muito mérito no crescimento até ao secundário e ao escolherem uma grande instituição de ensino superior para estudar. Esse mérito múltiplo que tiveram é reconhecido pela região e pelos empresários. Tiveram a consciência plena que o futuro está nas suas mãos e que os desafios que temos pela frente se resolvem com conhecimento e emprego qualificado. Estes nossos estudantes, futuros diplomados, vão ajudar as empresas e a região a estarem melhor preparadas para o futuro».

«O objetivo deste protocolo é atrair mais talento, que é aquilo que as empresas mais precisam hoje. Às vezes diz-se que é de mais dinheiro, mas não é verdade, as empresas precisam de mais pessoas com talento, e isto é uma forma de as atrair», reforçou António Poças, presidente da NERLEI.

Para rematar, Pedro Pereira, vice-presidente da CEFAMOL deixou claro que «O protocolo é uma forma de aproximar o que há de melhor ao nível da formação superior, no Politécnico de Leiria, com as necessidades físicas e do dia a dia das empresas».

 

Álbum de Fotografias 

MAIS INFORMAÇÕES 

 


Bolsas + Indústria

As Bolsas + Indústria, cujo valor suportará os custos da propina anual fixada pelo Politécnico de Leiria, são concedidas aos estudantes que ingressam com melhor média nos cursos selecionados pelas empresas. Esta parceria resulta de um trabalho de proximidade desenvolvido entre as empresas, através da NERLEI e da CEFAMOL, e o Politécnico de Leiria, assente na confiança mútua e no reconhecimento da complementaridade entre estes dois tipos de instituições. Esta proximidade traz benefícios importantes para a academia e para as empresas. Por um lado, a formação ministrada é mais ajustada à realidade das empresas, permitindo aos diplomados uma melhor inserção no mercado de trabalho. Por outro lado, o maior envolvimento do tecido empresarial em projetos conjuntos de investigação e inovação potencia os processos de partilha e valorização do conhecimento, fundamentais para a melhoria dos seus produtos e processos, assim como para o reforço da sua capacidade competitiva.