apple-apples-close-up-162806Projeto para aumentar a durabilidade das maças processadas conquista bolsa para o apoio da investigação 

A investigação em curso no Politécnico de Leiria foi contemplada com uma das 15 Bolsas de Ignição financiadas pelo INOV C 2020. O projeto desenvolvido por investigadores da Escola Superior de Turismo e Tecnologia do Mar consiste na produção de uma solução à base de algas para revestimento comestível de produtos hortofrutícolas com o objetivo de lhes aumentar a durabilidade.

De acordo com os equipa de trabalho, «a aplicação de revestimentos de conservação comestíveis, desenvolvidos a partir de compostos de origem natural, sustentáveis e eficazes constituem uma enorme vantagem competitiva para produtores de produtos hortofrutícolas que, desta forma, conseguem manter inalteradas as características dos produtos, minimamente processados, como é exemplo a maçã que, quando cortada, oxida rapidamente.»

Maria Jorge Campos, uma das investigadoras, afirma que «com a aplicação desta nova solução, o tempo de vida útil do produto seco e embalado terá de ser superior a 6 meses e, aquando a abertura da embalagem, esta não poderá perder as características de proteção do produto. Com o extrato hidro-etanólico da macroalga Codium tomentosum, o qual possui capacidade de manutenção da cor em maçã Fuji, minimamente processada, será possível aumentar a sua durabilidade através da capacidade de inibição da atividade das enzimas polifenoloxidase e peroxidase, envolvidas no processo de escurecimento oxidativo».

O intuito deste estudo é otimizar o processo de desidratação do extrato e a aumentar o tempo dos produtos nas prateleiras. Os investigadores acrescentam ainda que a funcionalidade da proposta foi validada à escala piloto, através da otimização da produção e determinação do tempo de prateleira de maçã Fuji revestida com o extrato em ambiente industrial.

 


INOV C 2020

O INOV C 2020 apoia projetos inovadores em Portugal, este é um projeto cofinanciado pelo Centro 2020, através do Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional (FEDER) que pretende promover ideias de empreendedorismo e inovação na região centro. O consórcio é liderado pela Universidade de Coimbra, em pareceria com: o Politécnico de Coimbra, o Politécnico de Leiria, o Politécnico de Tomar, o Pedro Nunes, o ITeCons, o SerQ, a ABAP, a Obitec e o TagusValley.