O estudo “Lymphocyte genotoxicity and protective effect of Calyptranthes tricona (Myrtaceae) against H2O2-induced cell death in MCF-7 cells” publicado na revista científica “Molecular and Cellular Biochemistry” resulta de uma parceria entre o grupo de investigação MARE/IPLeiria e o Centro Universitário UNIVATES (Brasil). O estudo visou avaliar a atividade antioxidante, e o efeito em linfócitos humanos e em células MCF-7 na presença de extratos da planta C. tricona, nativa do Sul do Brasil. Este estudo tem particular interesse visto tratar-se de uma planta que pertence a uma família de plantas medicinais utilizada no tratamento de doenças infecciosas, inflamatórias e como analgésico e que pouco se sabe sobre o seu efeito tóxico. Este estudo revelou indução genotóxica e mutagénica em linfócitos humanos promovidos pelos extratos de C. tricona e proteção de celular de células MCF-7 numa condição de stress oxidativo. Estes dados contribuíram com valiosos conhecimentos sobre as propriedades bioativas e os efeitos biológicos de C. tricona, sugerindo que serão necessários estudos in vitro e in vivo mais detalhados para definir potenciais riscos/ benefícios associados ao uso terapêutico de extratos de C. tricona. Contudo, de acordo com estes resultados preliminares o uso agudo ou crónico de preparações tradicionais desta planta para fins medicinais deve ser feito com alguma prudência.