Célia Sousa distinguida como EKUIzador do Ano

Célia Sousa_Politécnico de Leiria_site

Célia Sousa, coordenadora do Centro de Recursos para a Inclusão Digital (CRID) do Politécnico de Leiria, foi distinguida com o prémio “EKUIzador do Ano”, atribuído pela Equipa EKUI – Linha de Material Lúdico-Didático Inclusivo, cujo objetivo é a linguagem universal e acessível a toda a população. O prémio visa distinguir anualmente uma personalidade que se demarque na contribuição para uma sociedade mais igualitária e justa.

A representante do projeto EKUI, Celmira Macedo, justifica a atribuição do prémio a Célia Sousa «pela sua boa vontade, espírito solidário e dever de cidadania, pelo seu contributo de forma graciosa com o seu saber para elevar a qualidade do Projeto EKUI, ajudando-nos a garantir a equidade no acesso a bens e serviços na área da educação, reabilitação e comunicação acessível a milhares de crianças, jovens e adultos em todo o país. e «esta homenagem deve-se ao facto de ter acreditado, desde início, na visão, missão e valores da Metodologia EKUI e ter, através da sua assessoria, acrescentado valor pessoal, profissional e científico, imprescindíveis a um projeto que se quer de qualidade»

A cerimónia de entrega do prémio “EKUIzador do Ano” está agendada para 11 de julho, em Gaia, e contará com a presença da secretária de Estado da Inclusão das Pessoas com Deficiência, Ana Sofia Antunes. A equipa EKUI convidou Célia Sousa para entregar os prémios aos docentes e Agrupamentos de Escolas homenageados na mesma ocasião.

 


Marca EKUI

A EKUI – Equidade, Knowledge [conhecimento], Universalidade e Inclusão é uma marca que desenvolve material lúdico-didático inclusivo com o objetivo de tornar a linguagem universal e acessível a toda a população. A entidade garante a equidade no acesso nas áreas da comunicação acessível, aprendizagem, literacia/alfabetização e na componente lúdica, com a meta final de contribuir para uma Linguagem Universal. As EKUI Cards, cuja validação científica coube à investigadora do Politécnico de Leiria, apresentam o alfabeto em grafema e letra manuscrita, leitura em braille (visual e táctil), letra em datilologia (alfabeto da Língua Gestual Portuguesa) e o alfabeto fonético internacional.

 


Célia Sousa – Perfil e Percurso

Célia Sousa é docente e coordenadora do CRID, sediado na Escola Superior de Educação e Ciências Sociais (ESECS), e desenvolve há 30 anos trabalho na área da inclusão, acessibilidade e reabilitação.

É mentora e coordenadora da pioneira campanha Mil Brinquedos Mil Sorrisos, que desde 2007 recolhe, adapta e distribui brinquedos adaptados a instituições que apoiam crianças com necessidades especiais. É responsável pelo conceito de livro multiformato, concebido para ser acessível a crianças com necessidades especiais, cujos conteúdos estão disponíveis em braille, relevo, Língua Gestual Portuguesa e símbolos pictográficos para a comunicação – colaborou nos livros “Todos Diferentes Todos Animais”, “ O menino que tinha medo do Escuro” e “ Piu Caganita”.

Na última década tem desenvolvido projetos nas áreas das Tecnologias de Apoio, da Comunicação Aumentativa e da Acessibilidade para todos, dos quais se destacam: Praça de Todos (elaboração de ementas em braille e em linguagem pictográfica para os estabelecimentos de restauração da cidade de Leiria), Mosteiro de Todos (elaboração de guiões para o Mosteiro da Batalha, em braille para visitantes cegos, em Língua Gestual Portuguesa para visitantes surdos, e escrita simples e linguagem pictográfica para pessoas com dificuldades intelectuais ou baixa literacia), Leiria Convida (tradução e adaptação para braille de livros), Leiria de Todos + Acessível (elaboração de folhetos em braille e em linguagem pictográfica para os espaços culturais da cidade de Leiria).

Em 2017, foi eleita para a direção da SUPERA – Sociedade Portuguesa de Engenharia de Reabilitação, Tecnologias de Apoio e Acessibilidade, e será a coordenadora do Grupo de Interesse em Serviços de Tecnologias de Apoio. Depois da mudança recente dos seus estatutos, que agora permitem a categoria de sócios institucionais, o Politécnico de Leiria passou a ser sócio formal da SUPERA.

O Grupo de Interesse em Serviços de Tecnologias de Apoio da SUPERA estuda e desenvolve ações relacionadas com o Sistema de Atribuição de Produtos de Apoio, Bancos de Empréstimos e outros serviços. Este grupo está responsável por acompanhar de perto a ação do Instituto Nacional para a Reabilitação, ministérios, autarquias e entidades privadas, tendo com objetivo promover mais qualidade e inovação nos serviços de tecnologias de apoio.

Dá formação nas áreas da multideficiência e educação especial em diversos países (Portugal, México, Cabo Verde, Guiné), e presta assessoria científica aos Centros de Recurso Para Educação Especial-CRTIC da área de influência da DGEstE da Região Centro e à Associação de Autismo de Leiria. Colabora com o Grupo de Trabalho de Educação Especial, da Comissão Parlamentar da Educação Ciência e Cultura, e com o Conselho Nacional de Educação. O CRID/IPLeiria, que coordena desde a sua fundação em 2006 é modelo de boas-práticas e referência mundial na área da inclusão.

 


Centro de Recursos para a Inclusão Digital (CRID)

O CRID é considerado uma referência na área da inclusão, premiado nacional e internacionalmente, tendo sido o responsável pela criação da primeira biblioteca braille do país. Também editou e coeditou livros infantis inclusivos, colmatando assim uma lacuna grave em Portugal de oferta de livros para crianças com necessidades especiais.