O Homem e a Biosfera (UNESCO)

sl

 

 

 

 



Homem enfrenta um conjunto de pressões que colocam em causa a sua própria sobrevivência. Esta afirmação podia ter sido obtida a partir da leitura de um livro de ficção científica que definisse um cenário catastrófico para a humanidade. No entanto, trata-se de um contexto bem real resultante de um conjunto de opções e atividades humanas que se têm revelado insustentáveis e que urge serem alteradas. 

A humanidade depende dos sistemas naturais e a sua relação com a biosfera deverá permitir um equilíbrio entre o desenvolvimento sócioeconómico e a conservação dos ecossistemas. 
Ciente deste desafio, a UNESCO criou em 1971 o programa “O Homem e a Biosfera” (MAB), o qual define a base científica para o aperfeiçoamento das relações do homem com o ambiente. O programa MAB contribui para um maior envolvimento da ciência e dos cientistas nas políticas de desenvolvimento relativas à utilização da biodiversidade, procurando igualmente reforçar as ligações entre o conhecimento tradicional e a utilização dos recursos. 
O MAB coordena a Rede Mundial de Reservas da Biosfera, a qual conta em 2018 com 686 reservas em 122 Estados-membros. As Reservas da Biosfera são áreas de excelência, representativas dos principais ecossistemas mundiais (terrestres, marinhos e costeiros), reconhecidas pelo programa MAB como promotoras de um desenvolvimento sustentável, com base na ciência e nos esforços das comunidades locais, funcionando como “laboratórios vivos”. Nesse sentido, promovem quatro funções complementares: conservação de paisagens, ecossistemas e espécies; desenvolvimento sustentável a nível social, económico, cultural e ecológico; plataformas de investigação, monitorização, educação e sensibilização; e partilha de informação. 
Em Portugal existem atualmente 11 Reservas da Biosfera, sendo uma delas a Reserva da Biosfera das Berlengas em Peniche (RBB) que abrange o arquipélago das Berlengas, um corredor marítimo e a cidade de Peniche. O valor biológico da área marinha, o elevado interesse botânico, a relevância para a avifauna marinha e a presença de interessante património arqueológico subaquático são alguns dos seus fatores chave. Inclui igualmente um património geológico de elevado valor, em que o seu expoente máximo é o geomonumento da Ponta do Trovão. 
A RBB possui um Grupo de Trabalho Permanente que integra a Câmara Municipal de Peniche, o Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas, e a Escola Superior de Turismo e Tecnologia do Mar (ESTM) do Politécnico Leiria. No âmbito das suas competências, a ESTM, através da unidade de investigação MARE-IPLeiria, tem vindo a coordenar um conjunto de projetos de I&D relacionados com a valoração económica dos serviços e funções dos ecossistemas, monitorização ambiental ou a definição de um método que permita detetar o local de captura de recursos pesqueiros. De modo a apoiar atividades de ecoturismo, editou um conjunto de conteúdos para apoio à visitação e livros sobre o património natural. Atualmente, encontra-se a coordenar a implementação de um comité de cogestão para a apanha de “percebe” na RBB. Em resultado do seu forte envolvimento na concretização dos objetivos da RBB, o Politécnico de Leiria integra o grupo de peritos internacionais do programa MAB da UNESCO, cuja tarefa é rever os objetivos associados às Reservas da Biosfera. 
Em Portugal existem atualmente 11 Reservas da Biosfera, sendo uma delas a Reserva da Biosfera das Berlengas em Peniche

IN: Diário de Leiria, 10 de janeiro 2019

 | Sérgio Leandro :: Professor do Politécnico de Leiria Sub-diretor da Escola Superior de Turismo e Tecnologia do Mar Doutor em Biologia Investigador no MARE-IPLeiria – Centro de Ciências do Mar e do Ambiente (autor escreve com o actual acordo ortográfico)

 

 

logo citurMARE Logomarca policromatica IPLeiria CMYKCampusDoMarejthrtantomartedqual