Difusão da Informação

Vamos falar de leitura e bibliotecas? – Entrevistas aos leitores da Biblioteca do Campus 3 (ESAD.CR)

 

Entrevista_web_abril_2019

 

Nome: 
Daniel Esteves Rolo Bracons Ferreira

Qual a sua profissão ou o curso que frequenta?
Estudante de Mestrado em Design Gráfico.

Que género de leitura gosta mais?
Literatura calma. Mas principalmente livros de arte, design, filosofia e história.

Algum livro que tenha sido marcante? Porquê:
Que me lembre não, porque eu nunca tive hábitos de leitura. No entanto com a investigação, tive de ceder às leituras como fator de contribuição para o conhecimento.

Uma definição de biblioteca:
Ótimo espaço de trabalho, que contribui para o desenvolvimento intelectual graças às suas características, tais como: o silêncio, luz, espaço e bom repositório de informação.

 

 

 

 

 

 

Ver mais

Dissertações de Mestrado da ESAD.CR disponíveis no repositório IC-Online

Mestrado em Artes Plásticas

Título: Interzone : experiências corpo a corpo

Autor: André Ribeiro Lopes

[+] INFO 

Mestrado em Design Gráfico

Título: Jogo digital 2D Islazoo : O design gráfico na criação de jogos digitais para crianças

Autor:  Filipe José David Vieira

[+] INFO 

Mestrado em Design Gráfico

Título: Poveira. Sistema tipográfico baseado nas siglas da Póvoa de Varzim

Autor: Tatiana Sofia Sampaio Luís

[+] INFO 

Mestrado em Design Gráfico

Título: Griffe, uma reflexão visual sobre as marcas de luxo

Autor: Catarina dos Santos Cardoso

[+] INFO 


Mestrado em Design Gráfico

Título: Estúdio Desoños. Design de identidade e branding: Estudos para uma marca de moda

Autor: Diana Manuela Rocha Mendes

[+] INFO 

Ver mais

“Vamos falar de leitura e bibliotecas?” – Entrevistas aos leitores da Biblioteca José Saramago (Campus 2)

Entrevista_web_março_2019

 

Nome:
Anabela Batista Rebelo

Qual a sua profissão ou o curso que frequenta?
Secretariado da Direção da ESTG (Escola Superior de Tecnologia e Gestão).

Há livros que nos marcam. Que livro a marcou? E porquê?
“O Livro dos Espíritos” de Allan Kardec, porque nos transmite formas de conseguirmos perceber o que muitas vezes não tem explicação!

Que Biblioteca do Politécnico de Leiria costuma frequentar?
Biblioteca José Saramago (Campus 2).

Quais o motivos que a levam a frequentar as Bibliotecas do Politécnico de Leiria?
A recolha de informação para algum estudo que esteja a efetuar, também para passar um pouco do meu tempo com serenidade e tranquilidade e cumprimentar as colegas que estimo e que, apesar de estamos no mesmo campus a trabalhar, muito raramente nos encontramos.

 

Numa frase, defina o que a Biblioteca José Saramago representa para si:
A biblioteca é o local onde podemos encontrar várias temáticas, que nos podem dar respostas às nossas dúvidas e questões.

 

 

Ver mais

Vamos falar de leitura e bibliotecas? – Entrevistas aos leitores do Campus 3 (ESAD.CR)

 

Entrevista_web_fevereiro_2019

 

Nome:
Luís André Pereira Veludo Filipe


Qual a sua profissão?
Psicólogo no Serviço de Apoio ao Estudante.


Que género de leitura gosta mais?
Não tenho nenhum em especial. O que interessa é que goste do que estou a ler.


Algum livro que tenha sido marcante? Porquê:
Três livros marcantes:
“História da Filosofia Ocidental” de Bertrand Russell, pela forma fácil e enquadrada como explica a evolução da filosofia; “A jangada de pedra” de José Saramago, pela novidade e forma como apresenta as tendências políticas e diferenças ideológicas; “O Conde de Monte Cristo” de Alexandre Dumas, uma verdadeira aventura que nos faz acreditar no engenho humano e na capacidade de resiliência.


Uma definição de biblioteca:
Espaço de aprendizagem, partilha e principalmente de desenvolvimento pessoal.

 

 

 

 

 

 

Ver mais

Dissertações de Mestrado da ESAD.CR disponíveis no repositório IC-Online

Mestrado em Gestão Cultural

Título: Experiência através da prática : Como pensar o Serviço Educativo

Autor: Beatriz Machado Brum

[+] INFO 

Mestrado em Gestão Cultural

Título: Caldas da Rainha e as conexões com a cerâmica : Da cidade criativa à rede criativa da UNESCO

Autor: Luís Manuel Lourenço da Silva Ascenso

[+] INFO 

Mestrado em Design do Produto

Título: Dual : design de produto flexível – estudos de projeto para mobiliário e iluminação

Autor: André Silva Paiva

[+] INFO 

Mestrado em Design do Produto

Título: Ludus 2.x – Do Brincar à Música

Autor: Paulo Eduardo Vanzeler Oliveira

[+] INFO 

 

Ver mais

“Vamos falar de leitura e bibliotecas?” – Entrevistas aos leitores da Biblioteca José Saramago (Campus 2)

Entrevista_web_janeiro_2019Nome:
Sandro Costa

Qual a sua profissão ou o curso que frequenta?
Técnico superior na Unidade de Ensino a Distância.

Há livros que nos marcam. Que livro o marcou? E porquê?
Sou um fã confesso de George Orwell e adoro o 1984, não só por ser o ano em que nasci, mas porque o livro para mim funciona como um alerta social sobre uma realidade para a qual precisamos de acordar. Não posso esquecer também a Quinta dos animais, livro que já li por múltiplas vezes em português e em inglês e que acho absolutamente maravilhoso.

Quais o motivos que o levam a frequentar as Bibliotecas do Politécnico de Leiria?
Para além da companhia e das amizades que tenho nas Bibliotecas do Politécnico, sinto que há algo especial que só sentimos quando estamos no meio do conhecimento. Para mim um livro é algo intemporal que nunca vai ser substituído pela tecnologia.

 

Numa frase, defina o que a Biblioteca José Saramago representa para si:
Uma ode à transmissão do conhecimento e local de culto para quem, como eu, está a trabalhar numa tese.

Ver mais

Mostra bibliográfica “A Expansão Portuguesa na Banda Desenhada” – Biblioteca Campus 1 (ESECS)

MOSTRA BIBLIOGRÁFICA A Expansão Portuguesa na Banda Desenhada”

Biblioteca Campus 1 (ESECS)| 3 de dezembro 2018 a 26 de Janeiro de 2019

Considerado por muitos o período áureo da história de Portugal, a Expansão Portuguesa compreende de um modo geral os séculos XV a XVII. São mais de dois séculos de acontecimentos históricos, económicos, sociais e culturais que tiveram grande impacto na vivência dos portugueses e das mais diversas populações com as quais entraram em contacto, oferecendo por isso um manancial riquíssimo aos autores que procuram nessa era inspiração artística para a banda desenhada de fundo histórico.

Autores como Fernando Bento, Eduardo Teixeira Coelho, Vítor Peón, José Garcês, José Ruy e Carlos Alberto Santos foram percursores desse género, explorando um universo de aventuras, valentia e orgulho nacional, realçando os valores heróicos da época dos Descobrimentos. Senhores de um registo gráfico clássico, revisitam figuras históricas como o Infante D. Henrique, Bartolomeu Dias, Vasco da Gama, Luís de Camões ou Fernão Mendes Pinto, mas interessam-se também por ficcionar o aventureiro anónimo, em segundo ou primeiro plano, como é o caso de Simão Infante em O Caminho do Oriente, ou do piloto Bomvento, protagonista de uma série própria.

Enquadramentos mais recentes refletem traços contemporâneos a nível gráfico mas também ao nível do enredo. Fenómenos como a pobreza, o racismo, a escravatura, o choque de civilizações e o fundamentalismo religioso ganham relevo nesta nova abordagem. Trata-se de relatos de viagens, episódios soltos e biográficos muitas vezes baseados em fontes coevas, mas afastados da história monumental mais tradicional. Destacam-se nesta leva autores como Nuno Saraiva, Fernando Relvas, António Sacchetti e Filipe Avranches.

 

Ver mais

Vamos falar de leitura e bibliotecas? – Entrevistas aos leitores do Campus 3 (ESAD.CR)

Entrevista_web_dezembro_2018


Nome:
Randolph Albright

Qual o curso que frequenta? Qual a sua profissão?
Mestrado em Design de Produto.
Surfista, jardineiro e curador.

Que género de leitura gosta mais?
Filosofia, teoria e banda desenhada.

Algum livro que tenha sido marcante? Porquê:
Da vossa coleção: “The Arcades Project”, de Walter Benjamin e “A garagem hermética”, de Moebius. O primeiro por ser uma coleção de reflexões sobre o século 19. O segundo por ser uma história absurda duma outra dimensão.

Uma definição de biblioteca:
Um sítio onde repousam as ideias, que esperam para serem acordadas e vividas de novo.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Ver mais

Ciências da Saúde – Recursos de informação em livre acesso

catálogo

 

Não tem tempo para as pesquisas? Nós ajudamos.

Aceda, gratuitamente, ao texto integral de dissertações, teses, artigos científicos, entre outros, nas áreas da saúde.

 

 

A compilação apresentada tem como base uma recolha de acessos a repositórios cariz nacional e em Acesso Aberto, com suporte no portal do RCAAP – Repositório Científico de Acesso Aberto de Portugal e pretende ser uma ferramenta de apoio e suporte  não só na pesquisa e investigação académica, mas também na prática clínica.

Consulte a lista abaixo:

 

Repositórios portugueses 

DGS – Direção-Geral da Saúde – Repositório Comum

E M – Egas Moniz – Repositório Comum

ESEP – Repositório Comum – Escola Superior Enfermagem do Porto

ESESJC – Repositório Comum – Escola Superior de Enfermagem de S. José de Cluny

ESSA – Repositório Comum – Escala Superior de Saúde do Alcoitão

ESSCVP – Repositório Comum – Escola Superior de Saúde da Cruz Vermelha Portuguesa

ESSNorteCVP – Repositório Comum – Escola Superior de Superior de Saúde Norte da Cruz Vermelha

HVFX – Repositório Comum – Hospital de Vila Franca de Xira

IC-online – Repositório Institucional de Informação Científica do Instituto Politécnico de Leiria

RCAAP – repositórios científicos de acesso aberto de Portugal

RCCHP – Repositório Científico do Centro Hospitalar do Porto

RCESEnfC – Repositório Científico da Escola superior de Enfermagem Coimbra

RCHB – Repositório Científico do Hospital de Braga

RCHULC – Repositório Centro Hospitalar Universitário de Lisboa Central

RCINSDRJ – Repositório Científico do Instituto Nacional de Saúde Doutor Ricardo Jorge

RESEL – Repositório Digital – Escola Superior de Enfermagem Lisboa

RIHUC – Repositório Comum – Centro Hospitalar e Universitário

Saúde – CUF – Repositório Comum

 

Saiba tudo sobre o RCAAP – Repositório Científico de Acesso Aberto de Portugal

 

 

Sabe o que é a Ciência Aberta?

Descubra [+] sobre a Ciência Aberta  

 

[+] info: biblioteca.campus2@ipleiria.pt  

 

Ver mais

Gaste menos em energia: sugestões para começar a poupar

Com o tempo frio, é importante assegurar que as casas estão preparadas para as baixas temperaturas, garantindo que continuam quentes e secas. Melhorar a eficiência energética em casa é a melhor forma de poupar na fatura de energia, melhorando as condições de vida e o conforto. A iniciativa de sensibilização #GasteMenosEmEnergia, levada a cabo pela Comissão Europeia em Portugal e em outros três países europeus, visa proporcionar conselhos práticos e fáceis de poupança para cortar na fatura de energia.

As medidas necessárias para melhorar a eficiência energética e começar a poupar são simples e de fácil implementação. As sugestões de poupança doméstica incluem:

  1. Para melhorar o conforto em casa, pode abrir as cortinas durante o dia e deixar entrar a luz natural para aquecer a casa, e fechá-las à noite para reduzir a sensação de frio provocada pela baixa temperatura das janelas.
  2. Assegure-se de que todas as janelas e portas estão devidamente isoladas para prevenir a perda de calor.
  3. Nos eletrodomésticos, é recomendável manter o termóstato do frigorífico entre os 4 e os 6 °C e o do congelador em -18 °C; uma diferença de apenas 1 grau no congelador pode gerar um aumento do consumo entre 6 e 8 %.
  4. Os equipamentos continuam a consumir energia quando estão em standby. Uma forma simples de poupar energia é desligá-los e utilizar uma extensão com interruptor. Esta medida pode contribuir para uma redução de 10 % no consumo de energia e assegurar uma fatura mais económica. Até um carregador de telemóvel deixado ligado na tomada consome energia, por isso é preferível desligar todos os equipamentos eletrónicos quando sair de casa por períodos mais longos.
  5. A iluminação eficiente por LEDs pode permitir uma poupança de até 10 euros por lâmpada por ano.
  6. Evitar tapar os radiadores e aquecedores com roupa ou mobília, uma vez que impedem o calor de circular livremente pela casa.
  7. O consumo de água pode ser facilmente reduzido com gestos simples, tais como fechar a torneira na rotina matinal (por exemplo enquanto lava os dentes), ou instalando cabeças de chuveiro com redução de fluxo. Esta última medida pode permitir a uma família de três pessoas uma poupança de até um metro cúbico de água em cada mês, ou seja, uma poupança de 45 euros em cada ano.

Em www.gastemenosemenergia.eu existem mais sugestões de eficiência energética que podem ajudar os portugueses a poupar até 20 % na fatura energética. Através destas sugestões simples, os consumidores podem reduzir o consumo energético e os gastos domésticos, sem comprometer o conforto. Os benefícios são inúmeros, desde a proteção ambiental e menor emissão de gases com efeito de estufa até à redução da utilização de água, com poupança também na carteira.

De acordo com a Agência Internacional de Energia, com um conjunto simples de medidas de eficiência energética e sem recurso às e novas tecnologias que irão naturalmente surgir nos próximos anos, é possível atingir mais de 40 % da redução de emissões necessária para atingir os objetivos de mitigação das alterações climáticas.

Em Portugal, esta iniciativa da Comissão Europeia começou em setembro de 2018 com uma exposição itinerante de eficiência energética que esteve em Lisboa e no Porto e que agora continua online. A iniciativa dirige-se aos jovens, crianças e os seus professores, visando contribuir para a formação de hábitos de eficiência na utilização da energia, água e outros recursos.

Para assegurar um maior alcance e eficácia, esta iniciativa tem o apoio das principais organizações na área da energia e direitos do consumidor em Portugal, tais como a Agência para a Energia (ADENE), a Associação das Agências de Energia e Ambiente (RNAE), a Agência de Energia e Ambiente de Lisboa (Lisboa E-Nova), a Agência de Energia do Porto (AdEPorto), o Centro de Investigação em Ambiente e Sustentabilidade (CENSE – FCT/UNL), a Direção Geral do Consumidor (DGC), a Direção Geral de Energia e Geologia (DGEG), a DECO, a Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos (ERSE), o Instituto de Engenharia de Sistemas e Computadores, Tecnologia e Ciência (INESC TEC), os Municípios de Lisboa e Porto. Esta iniciativa também se encontra a decorrer na República Checa, Roménia e Grécia.

Ligações úteis:
Ver mais