Difusão da Informação

“Vamos falar de leitura e bibliotecas?” – Entrevistas aos leitores da Biblioteca José Saramago (Campus 2)

Entrevista_web_julho_2018

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Nome:
Sandra Brás

Qual a sua profissão ou o curso que frequenta?
Mestrado Marketing relacional e funcionária da ESTG.

Há livros que nos marcam. Que livro o marcou? E porquê?
Saga “Millenium”, de Stieg Larsson e David Lagercrantz.

Que Biblioteca do Politécnico costuma frequentar?
Biblioteca José Saramago (Campus 2).

Qual o(s) motivo(s) que o/a leva a frequentar a(s) Biblioteca(s) do Politécnico?
O espaço é muito agradável para estudar e tem uma coleção enorme de livros para consulta em variadas áreas científicas. Nos últimos tempos considero importante o investimento em literatura de lazer.

Numa frase, defina o que a Biblioteca José Saramago representa para si:
Representa uma boa parceira nos momentos de estudo durante a licenciatura e o mestrado. E também em eventos culturais realizados ao longo do ano.

 

 

Ver mais

DiscoverEU: 15 000 passes de viagem disponíveis para explorar a UE este verão

Os candidatos devem ter completado 18 anos até 1 de julho de 2018, ser nacionais de um país da UE e estar dispostos a viajar este verão.

Até 26 de junho (12h00), os jovens podem candidatar-se a um bilhete que lhes dá a oportunidade de partir à descoberta do seu continente entre julho e o final de outubro de 2018. A iniciativa DiscoverEU permitir-lhes-á compreender melhor a diversidade da Europa, apreciar a sua riqueza cultural, fazer novos amigos e reforçar o sentimento de identidade europeia. Tibor Navracsics, Comissário responsável pela Educação, Cultura, Juventude e Desporto, afirmou: «O DiscoverEU oferece aos jovens uma excelente oportunidade de descobrirem a Europa através de um périplo pessoal, de um modo que nenhum livro ou documentário pode igualar. Estou certo de que esta experiência proporcionará uma mudança positiva aos jovens e às comunidades que eles visitarem. A iniciativa que lançamos amanhã é uma oportunidade de fazer surgir 15 000 histórias europeias inesquecíveis, a que se seguirão muitas mais ainda este ano e, assim o esperamos, nos anos futuros.»

No âmbito desta nova iniciativa da UE, os jovens poderão viajar a título individual ou enquanto parte de um grupo constituído, no máximo, por cinco pessoas. Regra geral, os participantes viajarão de comboio. No entanto, a fim de assegurar um amplo acesso em todo o continente, os participantes podem, em casos especiais, utilizar modos de transporte alternativos, tais como o autocarro ou o ferry, ou, excecionalmente, o avião. Desta forma, os jovens que vivem em ilhas ou zonas remotas que façam parte da UE também terão a possibilidade de participar. Dado que 2018 é o Ano Europeu do Património Cultural, os viajantes terão a oportunidade de participar em numerosos eventos que estão a ser organizados em toda a Europa.

 

Como candidatar-se
Os candidatos devem indicar os seus dados pessoais e dar algumas informações sobre a viagem que planeiam fazer. Terão ainda de responder a cinco perguntas relacionadas com o Ano Europeu do Património Cultural 2018, as iniciativas da UE para os jovens e as próximas eleições para o Parlamento Europeu. Por último, terão de responder a uma pergunta adicional sobre quantos jovens pensam que se candidatarão a esta iniciativa. As respostas permitirão à Comissão Europeia selecionar os candidatos. Uma vez selecionados, os participantes têm de começar a sua viagem entre 9 de julho e 30 de setembro de 2018. A viagem pode durar até 30 dias e incluir entre 1 e 4 destinos no estrangeiro.

 

Antecedentes
Com um orçamento de 12 milhões de euros para 2018, pretende-se que a iniciativa DiscoverEU dê a pelo menos 20 000 jovens a oportunidade de viajarem pela Europa este ano. A cada Estado-Membro da UE foi atribuído um número de passes de viagem baseado na percentagem da sua população em relação à população total da União Europeia. A primeira fase de candidaturas, lançada amanhã, permitirá que 15 000 contemplados explorem o seu continente. Uma segunda fase, com pelo menos 5 000 bilhetes, terá lugar no outono de 2018. A Comissão Europeia tenciona desenvolver a iniciativa e, por conseguinte, incluiu-a na sua proposta para o próximo programa Erasmus. Se o Parlamento Europeu e o Conselho aprovarem a proposta, espera-se que mais 1,5 milhões de jovens de 18 anos possam viajar entre 2021 e 2027, com o apoio de um orçamento de 700 milhões de euros.

DiscoverEU é uma iniciativa da UE baseada numa proposta do Parlamento Europeu, que assegurou o seu financiamento para 2018 através de uma Ação Preparatória. A iniciativa está centrada nos jovens de 18 anos, uma vez que esta idade é um marco importante na passagem para a idade adulta.

A Comissão Europeia gostaria de ouvir a opinião dos jovens viajantes e incentivá-los-á a partilharem as suas experiências e aventuras. Por esta razão, uma vez selecionados, os participantes farão parte da comunidade DiscoverEU e tornar-se-ão embaixadores da iniciativa. Serão convidados a contar as suas experiências de viagem, por exemplo, através das redes sociais, como o Instagram, o Facebook, o Twitter, etc., ou mediante apresentações na escola ou na comunidade local.

Para mais informações:

Memo

Portal Europeu da Juventude: Candidata-te aqui

Ver mais

“Vamos falar de leitura e bibliotecas?” – Entrevistas aos leitores da Biblioteca do Campus 3 (ESAD.CR)

Entrevista_web_jun_2018

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


Nome:
Vadym Alyekseyenko

Qual o curso que frequenta?
Licenciatura em Design Gráfico e Multimédia.

Que género de leitura gosta mais?
Fantasia, policial e documentais.

Algum livro que tenha sido marcante? Porquê?
Bartleby, o Escriturário – Porque fala da sociedade e do dia-a-dia, e de quando aparece alguém diferente ou dá uma resposta incomum a algo, como por exemplo: “Vai trabalhar!” E a outra pessoa diz: “Preferia não fazer”.

Uma definição de biblioteca:
Hoje em dia uma biblioteca é diferente. Antigamente era apenas uma procura de conhecimento. Na atualidade é um local calmo, social e que abre muitas portas ao conhecimento pessoal. Basta nós termos o desejo do conhecimento e ele está por detrás das portas da biblioteca.

 

Ver mais

O que é o Regulamento Geral sobre a Proteção de Dados (RGPD)?

O RGPD estabelece as regras relativas ao tratamento, por uma pessoa, uma empresa ou uma organização, de dados pessoais relativos a pessoas na UE.

CDE miniaturaA partir de 25 de maio de 2018, com a entrada em vigor do Regulamento Geral sobre a Proteção de Dados, passará a existir um conjunto único de regras de proteção de dados para todas as empresas ativas na UE, independentemente da sua localização.

Regras de proteção de dados mais rigorosas significam um maior controlo dos cidadãos sobre os seus dados pessoais condições mais equitativas para as empresas.

 

 

Direitos para os cidadãos

Saiba como são protegidos os seus dados pessoais, conheça os direitos que o ajudarão a recuperar o controlo dos seus dados e descubra o que fazer se algo correr mal.

Regras para empresas e organizações

Saiba o que a sua organização tem de fazer para cumprir as regras de proteção de dados da UE e de que modo pode ajudar os cidadãos a exercerem os direitos que lhes são conferidos pelo regulamento.

>> Saiba mais aqui

Ver mais

Exposição de trabalhos dos alunos Erasmus – Biblioteca Campus 3 (ESAD.CR)

Exposição dos Estudantes “Incoming” 2017/ 2018, no âmbito da Semana Internacional, na Biblioteca do Campus 3 (ESAD.CR) até 22 de maio. Esperamos pela tua visita!

 

Ver mais

Estágios no Banco Europeu de Investimento (BEI) | Luxemburgo

Estão abertas várias vagas para a realização de um estágio no Banco Europeu de Investimento (BEI), de duração 5-6 meses, a começar em setembro de 2018. Subsídio mensal de 1.050€.

CRITÉRIOS DE ELEGIBILIDADE
Os candidatos devem ser nacionais de um dos Estados-Membros da União Europeia ou dos países candidatos à adesão (Turquia, Sérvia e Montenegro) e devem ter concluído, ou estar a concluir, o primeiro ciclo do ensino superior (ou mestrado).

REQUISITOS ACADÉMICOS

Para além das áreas de conhecimento específicas a cada vaga, os candidatos devem ter bons conhecimentos de inglês e / ou francês.

EXPERIÊNCIA PROFISSIONAL

Na sua maioria, os estágios não exigem experiência profissional, embora o conhecimento e interesse nas áreas específicas de cada vaga seja uma vantagem.

CANDIDATURA

Os candidatos devem ler o anúncio, as regras aplicáveis aos estágios da Instituição e concorrer até 27 de maio de 2018.

 

Outras Oportunidades de Estágio e Emprego na União Europeia, consulte o site Trabalhar na União Europeia.

Ver mais

Dissertações de Mestrado da ESAD.CR disponíveis no repositório IC-Online

Mestrado em Artes Plásticas

Título: Desenhar uma linha : O problema da perceção e da intensidade na prática do desenho

Autor: Maria Leonor de Melo Esteves Bernardino

[+] INFO 

 

Mestrado em Artes Plásticas

Título: Westland : Terra de toda a gente e de ninguém

Autor: Paulo Alexandre Neto Marques

[+] INFO 

 

Mestrado em Gestão Cultural

Título: O Músico Profissional : Liberdade Artística versus Sustentabilidade Financeira

Autor: António Paulo Lucas de Vasconcelos e Sanches

[+] INFO 

Ver mais

“Vamos falar de leitura e bibliotecas?” – Entrevistas aos leitores da Biblioteca José Saramago (Campus 2)

 

Entrevista_web_maio_2018

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Nome:
Rui Pedro Charters Lopes Rijo

Qual a sua profissão ou o curso que frequenta?
Docente e investigador.

Há livros que nos marcam. Que livro o marcou? E porquê?
Um dos livros que mais me marcou foi o “Admirável Mundo Novo”, de Aldous Huxley. Este livro levou-me a questionar aspectos como o que é a liberdade, se somos efetivamente livres e quais as responsabilidades e consequências da opção de sermos (ou procurarmos ser) livres!

Que Biblioteca do Politécnico costuma frequentar?
Biblioteca José Saramago (Campus 2).

Qual o(s) motivo(s) que o/a leva a frequentar a(s) Biblioteca(s) do Politécnico?
O principal motivo que me leva a frequentar a Biblioteca José Saramago é a oferta de um espaço em que me consigo isolar e com isso atingir o nível de concentração necessário ao meu trabalho de investigação.

Numa frase, defina o que a Biblioteca José Saramago representa para si:
A Biblioteca José Saramago permite-me ser livre, completo e produtivo!

Ver mais

Eurobarómetro Especial: Até que ponto pensam os europeus que a vida na UE é justa?

Uma nova sondagem revela que, embora na sua maioria os europeus considerem que, em geral, a vida é justa, preocupam-se com a justiça, as decisões políticas e as desigualdades de rendimento.

Uma nova sondagem revela que, embora na sua maioria os europeus considerem que, em geral, a vida é justa, preocupam-se com a justiça, as decisões políticas e as desigualdades de rendimento.

O Presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker, fez da equidade na UE a pedra angular das suas prioridades políticas. A fim de apoiar esse esforço com provas científicas, no ano passado o serviço científico e informativo da Comissão Europeia, o Centro Comum de Investigação (JRC), elaborou o seu primeiro Relatório sobre equidade. Os resultados do inquérito do Eurobarómetro Especial, hoje publicado, irão contribuir para dar resposta a questões mais vastas, relacionadas com a perceção das desigualdades no domínio do emprego, da educação, da saúde e da sociedade em geral.

Ainda de acordo com o Eurobarómetro hoje publicado, os europeus consideram maioritariamente que, na globalidade, a sua vida é justa e que dispõem de oportunidades iguais para progredirem. Todavia, independentemente do seu estatuto social, da riqueza ou dos contactos sociais, estão menos convictos de que a justiça e as decisões políticas no seu país sejam aplicadas de forma equitativa e coerente. Além disso, a grande maioria dos inquiridos considera que as desigualdades de rendimentos são demasiado importantes e que os governos devem resolvê-las, enquanto menos de metade crê que a igualdade de oportunidades e o seu estatuto social evoluíram de forma positiva ao longo do tempo.

Tibor Navracsics, Comissário Europeu responsável pela Educação, a Cultura, a Juventude, o Desporto e responsável pelo JRC, declarou: «A equidade é crucial para erigir uma Europa mais resiliente e coesa. As nossas iniciativas neste domínio devem basear-se em provas sólidas, sem deixar ao mesmo tempo de ter em conta os valores e as perceções dos europeus. Congratulo-me com o facto de o trabalho desenvolvido pelo JRC melhorar a nossa compreensão a ambos os níveis, contribuindo de forma decisiva para os nossos esforços no sentido de edificar uma Europa melhor para o futuro.»

Os principais resultados do inquérito do Eurobarómetro abrangem os domínios da educação, dos rendimentos, do estatuto social e da mobilidade entre gerações. Incidem também sobre as perceções no que respeita à migração, que constitui um dos fatores na origem de desigualdades crescentes, e à globalização, um indicador das preferências políticas, as quais, entre outros fatores, determinam as atitudes face à equidade e às desigualdades:

  • No entender de mais de metade dos inquiridos, os cidadãos têm oportunidades iguais para progredir (58 %). No entanto, segundo 81 % dos inquiridos na Dinamarca, em contraste com apenas 18 % na Grécia, este valor oculta disparidades regionais substanciais
  • Os inquiridos mostram-se menos otimistas no que diz respeito à equidade em domínios específicos. Apenas 39 % acreditam que a justiça prevalece sempre sobre as injustiças, embora uma proporção equivalente discorde. Numa nota ainda mais pessimista, apenas 32 % dos inquiridos concordam que as decisões políticas são aplicadas de forma coerente a todos os cidadãos, elevando-se a percentagem de inquiridos que discordam a 48 %. Na generalidade, as pessoas são mais propensas a considerar que as coisas são justas se o seu nível de educação for superior, se forem mais jovens e tiverem um melhor nível de vida.
  • A esmagadora maioria considera que as diferenças de rendimento são demasiado acentuadas (84 %), oscilando entre 96 % em Portugal ou 92 % na Alemanha e 59 % nos Países Baixos. Em todos os países, com exceção da Dinamarca, mais de 60 % dos inquiridos concordam que os governos devem adotar medidas para reduzir as desigualdades
  • Segundo 98 % e 93 % dos inquiridos, respetivamente, a saúde e uma educação de qualidade são fatores essenciais ou importantes para avançar na vida. Mais de 90 % dos inquiridos consideram que trabalhar arduamente e conhecer as pessoas certas são também fatores essenciais ou importantes. Considera-se que é menos importante ser proveniente de uma família rica, ter contactos políticos, ter uma determinada origem étnica ou ser de um determinado género.
  • Menos de metade dos inquiridos (46 %) acredita que as oportunidades de progredir na vida são mais equitativas em relação a 30 anos atrás, concordando 70 % em Malta, na Finlândia e na Irlanda, mas menos de 25 % na Croácia, em França e na Grécia.
  • No total, 47 % dos europeus consideram que a globalização é um fator positivo e 21 % discordam. 39 % consideram que a imigração no seu país é positiva, enquanto que 33 % pensam o contrário.

O JRC irá utilizar os dados do inquérito e as mais recentes investigações científicas para continuar a construir uma base de conhecimentos a fim de apoiar as políticas da UE destinadas a criar uma sociedade mais justa. Em 2019, irá publicar uma série de sínteses políticas, bem como a segunda edição do Relatório sobre equidade.

Contexto

A edição especial do Eurobarómetro n.º 471, «Equidade, desigualdade e mobilidade entre gerações» foi elaborada com base em entrevistas pessoais, realizadas entre 2 e 11 de dezembro de 2017. No total, foram entrevistadas 28 031 pessoas em 28 países da UE.

O relatório precedente do JRC sobre equidade analisou os dados e as estatísticas sobre a desigualdade de rendimentos e sobre o impacto do meio familiar e da localização geográfica sobre as oportunidades nos domínios da educação, da saúde e do mercado de trabalho, bem como sobre as perceções das pessoas e as suas atitudes. O JRC lançou também uma Comunidade de Práticas sobre equidade, pondo os decisores políticos da UE em contacto com meios académicos e investigadores que se dedicam a questões relacionadas com a equidade.

No quadro do Pilar Europeu dos Direitos Sociais, a Comissão apresentou uma série de iniciativas jurídicas e políticas nesse sentido, incluindo uma proposta para promover a igualdade de género graças a um melhor equilíbrio entre a vida profissional e familiar para os pais que trabalham, bem como propostas destinadas a melhorar a transparência e a previsibilidade das condições de trabalho e o acesso de todos à proteção social.

A fim de tirar pleno partido do potencial da educação e da cultura no sentido de promover a justiça social, a participação e o crescimento económico, a Comissão pretende criar um Espaço Europeu da Educação até 2025, propondo uma série de iniciativas em matéria de educação, juventude e cultura. O seu primeiro pacote de medidas, apresentado em janeiro, inclui uma proposta com vista a reforçar a educação inclusiva no intuito de promover uma educação de qualidade para todos os alunos.

Para mais informações:

Eurobarómetro, Relatório e Fichas por país

Ficha de informação do Centro Comum de Investigação

Relatório sobre equidade, Centro Comum de Investigação, 2017

Ver mais