Difusão da Informação

Indicador de confiança dos Consumidores aumenta e indicador de clima económico diminui – janeiro de 2016

O indicador de confiança dos Consumidores aumentou em janeiro, após ter diminuído nos dois meses anteriores, retomando a tendência ascendente observada desde o início de 2013.
O indicador de clima económico diminuiu entre outubro e janeiro, embora menos acentuadamente no último mês. No mês de referência, o indicador de confiança agravou-se na Construção e Obras Públicas, no Comércio e nos Serviços, tendo aumentado ligeiramente na Indústria Transformadora.

>> Mais informações

Ver mais

Comissão Europeia publica relatório de sustentabilidade orçamental de 2015

O relatório de sustentabilidade orçamental de 2015 é um estudo elaborado, de três em três anos, pelos serviços da Comissão Europeia (DG ECFIN). O relatório analisa a situação das finanças públicas na UE e identifica os principais desafios a médio e longo prazo. Examina, em particular, o impacto do envelhecimento demográfico. O relatório confirma que o crescimento sustentável será essencial para assegurar um ritmo adequado de redução da dívida. O relatório aborda todos os Estados-Membros com exceção dos países sujeitos a um programa de assistência financeira. Tem por base um conjunto de indicadores utilizados regularmente para a análise da sustentabilidade orçamental no contexto do Semestre Europeu.

 

>> Mais informações

Ver mais

Valor médio de avaliação bancária acentuou tendência crescente – Dezembro de 2015

O valor médio de avaliação bancária do total do País fixou-se em 1050 euro/m2 em dezembro, aumentando 7 euros/m2 face ao observado no mês anterior (aumento de 2 euros/m2 em novembro). Comparado com o período homólogo, verificou-se um aumento de 4,5% (variação de 3,7% no mês precedente).
Para o conjunto do ano 2015, o valor médio de avaliação fixou-se em 1034 euros/m2, o que se traduziu num aumento de 2,6% relativamente ao ano anterior.

 

>> Mais informações

Ver mais

Concurso de ideias quer ajudar a lançar projetos e a promover o empreendedorismo

A partir de 25 de janeiro – e até 21 de fevereiro – todos aqueles que possuam uma ideia de negócio podem candidatar-se ao concurso “Elevator Pitch – Ideias Que Marcam” em www.bolsadoempreendedorismo.pt. Depois de se inscreverem na iniciativa, realizada pelo terceiro ano consecutivo pela Representação da Comissão Europeia em Portugal, todos os candidatos selecionados receberão formação e ajuda para desenvolver as suas ideias e para preparar a sua apresentação de forma clara, sucinta e eficaz. A formação centra-se em competências essenciais para empreendedores e em coaching personalizado e inclui o acesso a uma rede de contactos de diversos parceiros e informação sobre instrumentos de apoio a nível europeu. Após o processo de formação, os participantes deverão ser capazes de, em apenas dois minutos, conseguir motivar potenciais investidores a querer saber mais sobre o seu projeto, sendo que, no final do concurso, são escolhidos os dois vencedores – a quem será atribuído um prémio de 5 000 euros/cada. O “Elevator Pitch – Ideias que Marcam” pretende ajudar a consolidar ideias com novas soluções para o mercado, capazes de promover o investimento, dinamizar o crescimento e criar emprego.

O concurso é a primeira fase de uma iniciativa mais alargada – a Bolsa do Empreendedorismo 2016 –, que integra, além do concurso de ideias “Elevator Pitch – Ideias Que Marcam”, o evento “Bolsa do Empreendedorismo”, que terá lugar a 9 de maio, e o concurso de empreendedorismo “Canvas – Projetos que Marcam”, lançado também nesse dia. A “Bolsa do Empreendedorismo 2016” reunirá, a 9 de maio (o Dia da Europa), num só lugar, responsáveis pela gestão de fundos comunitários, incubadoras empresariais, business angels, bancos, empresas e potenciais empreendedores. Durante o evento serão revelados, ainda, os vencedores do Concurso “Elevator Pitch – Ideias Que Marcam”.

 

Calendário:
Candidaturas ao concurso | De 25 de janeiro a 21 de fevereiro
Cinco módulos de formação | De 7 a 11 de abril (das 18h00 às 21h00)
Sessões de coaching | De 4 a 8 de abril
Final do concurso (apresentação ao júri) | 5 de maio (a confirmar)
Anúncio dos vencedores e entrega dos prémios | 9 de maio

 

Para mais informações sobre assuntos europeus: http://ec.europa.eu/portugal

Ver mais

IC-Online regista 1 milhão de downloads

 

Ver mais

Taxa de juro manteve tendência decrescente e prestação média aumentou ligeiramente – Dezembro de 2015

A taxa de juro implícita no conjunto dos contratos de crédito à habitação situou-se em 1,215% em dezembro (1,219% em novembro). A prestação média vencida para a globalidade dos contratos foi 241 euros, superior em 1 euro à observada no mês anterior devido ao aumento da componente amortização.
Para o conjunto do ano 2015, a taxa de juro média anual para o total do crédito à habitação fixou-se em 1,269%, diminuindo 0,187 pontos percentuais face ao observado no ano anterior. O capital médio em dívida reduziu-se 1 013 euros em 2015 face ao ano precedente, tendo a prestação média anual vencida diminuído 3 euros, para 241 euros.

>> Mais informações

Ver mais

Novidades Bibliográficas da Biblioteca do Campus 3 (ESAD.CR)

 

Ver mais

Quase 8 milhões de especialistas em TIC empregados na UE em 2014

Na União Europeia, cerca de 8 milhões de pessoas estavam empregados em 2014 como especialistas das tecnologias da informação e da comunicação (TIC), representando 3,7% do emprego total. Nos últimos anos, o número e a proporção de especialistas em TIC em relação ao emprego total tem vindo a aumentar de forma contínua para responder às necessidades de um mundo cada vez mais digitalizado. No entanto, quase 40% das empresas com, pelo menos, 10 colaboradores, que recrutaram ou tentaram recrutar pessoal para empregos que exigem competências especializadas em TIC tiveram dificuldades em preencher vagas em 2014. Nesse ano, em comparação com 2011, o número de especialistas em TIC no emprego total aumentou em quase todos os Estados-Membros, nomeadamente em Portugal. No nosso país, a percentagem de especialistas em TIC em relação ao emprego total em 2014 foi de 2,5% contra 1,4% em 2011.

(Desenvolvimento em STAT-16-119)

Ver mais

Trabalhar noutros países da UE mais fácil com a nova Carteira Profissional Europeia

A partir de hoje, exercer uma profissão noutro país da UE torna-se mais fácil para enfermeiros responsáveis por cuidados gerais, farmacêuticos, fisioterapeutas, guias montanhistas e mediadores imobiliários, graças à Carteira Profissional Europeia (EPC). Com a EPC, estas profissões podem ver as suas qualificações reconhecidas de uma forma mais eficaz noutro país da UE – a avaliação será feita com base nas regras existentes mas o mecanismo será simplificado através de um procedimento eletrónico. Ao mesmo tempo, o sistema prevê salvaguardas que previnem abusos: um mecanismo de alerta garante que os pacientes e os consumidores da UE são protegidos adequadamente. Não se trata de um cartão de plástico, mas antes de um certificado eletrónico emitido pelo primeiro procedimento completamente online à escala da UE para o reconhecimento de qualificações. No futuro, a EPC pode ser alargada a outras profissões móveis, tendo por base a experiência prática adquirida com o respetivo funcionamento.

(Desenvolvimento no sítio Web da Direção-Geral CRESCIMENTO)

Ver mais

Síntese Económica de Conjuntura – Dezembro de 2015

Em dezembro, os indicadores de confiança dos consumidores e de sentimento económico recuperaram na Área Euro (AE). No mesmo mês, os preços das matérias-primas e do petróleo apresentaram variações em cadeia de -1,1% e -15,3%, respetivamente (-3,2% e -4,3% em novembro).
Em Portugal, o indicador de clima económico, disponível até dezembro, diminuiu nos últimos três meses. O indicador de atividade económica aumentou ligeiramente em novembro, após ter diminuído ligeiramente nos dois meses anteriores. Os Indicadores de Curto Prazo (ICP) apontam para uma redução da atividade económica na indústria, na construção e obras públicas e em setores de serviços, mais acentuada que nos dois meses anteriores nos últimos dois casos. O indicador quantitativo do consumo privado apresentou um crescimento homólogo ligeiramente mais acentuado em novembro, refletindo o comportamento da componente de consumo de bens duradouros. O indicador de FBCF desacelerou devido ao contributo positivo menos acentuado da componente de material de transporte. Em termos nominais, as exportações e importações de bens apresentaram variações homólogas de 1,1% e -1,2% em novembro, respetivamente (0,3% e -1,3% em outubro).
De acordo com as estimativas provisórias mensais do Inquérito ao Emprego, a taxa de desemprego (15 a 74 anos), ajustada de sazonalidade, manteve-se em 12,4% entre setembro e novembro (13,5% em novembro de 2014). A estimativa da população empregada (15 a 74 anos), ajustada de sazonalidade, aumentou 1,2% em termos homólogos em outubro e novembro e apresentou uma variação nula face ao mês anterior.
Em 2015, o Índice de Preços no Consumidor (IPC) apresentou uma variação média anual de 0,5% (0,3% em 2014), refletindo a evolução da inflação subjacente e dos preços dos produtos alimentares não transformados. O índice da componente de bens passou de uma variação média de 1,1% em 2014 para -0,1% em 2015 e o índice da componente de serviços registou uma variação média de 1,3% em 2015 (0,8% no ano anterior). Em 2015, a taxa média anual do IHPC de Portugal foi superior em 0,5 p.p. à do IHPC da AE, enquanto em 2014 aquele diferencial tinha sido de sinal contrário (-0,6 p.p.).

 

>> Mais informação

Ver mais